Buscar
  • Delter Lopes

Os sistemas de gestão e seus riscos

Atualizado: 26 de Out de 2018


Lá se vão mais de 03 anos da publicação da Norma Internacional ISO 9001:2015. E ela ainda parece tão desconhecida. Tão nova! Na verdade, nova, nova, ela não é. Mas, desconhecida, isso sim!

Ainda existem dúvidas, e muitas, em relação a vários requisitos da Norma.

Mas um deles tem me chamado à atenção: "Ações para abordar riscos e oportunidades".

Alguns tem defendido a teoria de que a cláusula 6.1 da Norma se refere aos riscos e oportunidades para o negócio, uma vez que ela remete às cláusulas 4.1 e 4.2. Outros defendem que os riscos e oportunidades devem ser para todos os processos do sistema de gestão da qualidade. As duas teses podem ser justificadas com a própria Norma, como já citado no caso das cláusulas 4.1 e 4.2.

Mas, afinal, qual deve ser a abordagem para esse tema? Decidi estudar um pouco mais, ler a respeito e cheguei à seguinte conclusão: Os riscos e oportunidades devem ser relacionados aos processos. De onde tirei essa ideia? Simples: De uma Norma pouco divulgada e que poucos conhecem: ISO 9002:2016. Isso mesmo! Existe a Norma ISO 9002:2016, que dá diretrizes para a aplicação da Norma ISO 9001:2015. Ela diz, em sua cláusula 6.1: "A intenção deste sub-requisito é assegurar que ao planejar os processos do Sistema de Gestão da Qualidade, a organização determine seus riscos e oportunidades e planeje ações para enfrentá-los. Seu objetivo é evitar as não-conformidades...". "Trata-se de adotar uma abordagem de pensamento baseado no risco e a organização deve considerar a aplicação desta abordagem aos processos necessários para o seu sistema de gestão da qualidade."

Se olharmos para a 9001:2015, temos em 6.1: "Ao planejar o sistema de gestão da qualidade, a organização deve considerar as questões referidas em 4.1e os requisitos referidos em 4.2, e determinar os riscos e oportunidades que precisam ser abordados para:


a) Assegurar que o sistema de gestão da qualidade possa alcançar seus resultados pretendidos;

b) Aumentar efeitos desejáveis;

c) Prevenir, ou reduzir, efeitos indesejáveis;

d) Alcançar melhoria....".


No meu entendimento, vejo que, uma vez que os processos foram definidos como sendo aqueles necessários para o Sistema de Gestão da Qualidade e, que o Sistema de Gestão da Qualidade foi definido para apoiar a estratégia do negócio, a identificação dos riscos nos processos poderá ser suficiente para a identificação dos riscos e oportunidades para o negócio.

Ou seja, a Norma ISO 9001:2015 não fala sobre o alcance do direcionamento estratégico, de forma explícita. Porém, ela traz o Sistema de Gestão da Qualidade, sua política, seus objetivos, seus processos, como os "realizadores", a "base de sustentação" desse direcionamento.

E você. Qual o seu entendimento desse tema? Deixe sua opinião.

Abraços


0 visualização

Deal Consulting 2020

  • Facebook
  • Instagram