Buscar
  • Delter Lopes

Vamos falar da cláusula 4.1 - Contexto da organização

Atualizado: 13 de Nov de 2018


Por quê identificar as situações internas e externas?

Com a publicação do Anexo SL, a ISO trouxe como elemento obrigatório para as Normas de sistemas de gestão a "Estrutura de alto nível", que traz para as organizações a necessidade de olharem para dentro e para fora, com a finalidade de identificarem quais questões podem trazer um impacto, seja ele positivo ou negativo, para o seu negócio e para o seu sistema de gestão.

Isso tem gerado uma certa confusão de entendimento e das várias formas que a organização pode atender a esse requisito. As Normas ISO 9001, ISO 14001 e ISO 45001 não obrigam o uso ou estabelecem qualquer tipo de ferramenta para fazer essa análise de contexto. Porém, é comum que algumas delas sejam mais utilizadas. Dentre elas, a análise de SWOT (FOFA), por exemplo.

Mas, mais importante que a ferramenta, é o conceito por detrás dela! E é sobre isso que iremos tratar nesse post: O conceito do contexto da organização.


Como já dissemos no início, a intenção desse elemento normativo é fazer com que a organização entenda as questões externas e internas que são relevantes para o seu propósito e seu direcionamento estratégico e que possam afetar, positivamente ou negativamente, a sua capacidade de alcançar os resultados esperados de seu sistema de gestão. A organização deve estar ciente de que essas questões podem mudar e, portanto, devem ser monitoradas e revisadas.

Quando falamos em contexto, alguns pontos devem ser considerados:

  • fatores econômicos, como taxas cambiais, situação econômica, previsão de inflação, disponibilidade de crédito;

  • fatores sociais, como taxas de desemprego locais, percepção de segurança, níveis de educação, feriados e dias úteis;

  • fatores políticos, como estabilidade política, investimentos públicos, infraestruturas locais, acordos comerciais internacionais;

  • fatores tecnológicos, como tecnologia de novos setores, materiais e equipamentos, expirações de patentes, código de ética profissional, capacidades produtivas;

  • fatores de mercado, tais como concorrência, incluindo a participação de mercado, produtos ou serviços semelhantes, tendências dos líderes de mercado, tendências de crescimento dos clientes, estabilidade do mercado, relações da cadeia de fornecimento;

  • fatores regulatórios que afetam o ambiente de trabalho, tais como, regulamentos sindicais e legislações novas ou alteradas;

  • desempenho geral da organização;

  • fatores de recursos, como infraestrutura, ambiente para o funcionamento dos processos, conhecimento organizacional;

  • aspectos humanos, tais como, competência de pessoas, comportamento organizacional e cultura, relações com sindicatos;

  • fatores operacionais, tais como, processo ou capacidade de produção e prestação de serviços, desempenho do sistema de gestão, monitoramento da satisfação do cliente;

  • fatores na governança da organização, tais como, regras e procedimentos para tomada de decisão ou estrutura organizacional.

Isso significa que, uma organização com unidades semelhantes, porém, instaladas em locais diferentes, podem ter contextos diferentes!

Essa identificação de contexto servirá de base para a identificação dos riscos e oportunidades, citadas na Seção 6.1 das Normas. Mas isso é assunto para outro post, onde abordaremos como é a relação das seções. Abraços.

0 visualização

Deal Consulting 2020

  • Facebook
  • Instagram